#CASOJAIRO “Pistoleiro teria usado Onix branco no dia do crime”


Um Chevrolet Onix de cor branca teria sido utilizado por pistoleiros durante o assassinato do radialista Jairo Sousa. As imagens já estão nas mãos da Polícia Civil. O veículo teria sido observado nas imagens das câmeras de segurança, que estão em poder da Polícia Civil.
Em entrevista coletiva na tarde de ontem, o diretor de polícia do interior, delegado Silvio Maués, informou que toda peça pode contribuir para elucidar o crime, e que as imagens, mesmo importantes, são ainda preliminares, podem não dizer muita coisa, e a placa ser falsa.
A Polícia precisa se um conjunto consistente de informações para construir uma tese de investigação que leve a motivação e a autoria do crime, entre as quais, as perícias efetuadas no local onde o radialista foi alvejado, e que podem evidenciar como os assassinos agiram.
O delegado garantiu que agentes especiais da Divisão de Homicídios e dos serviços de inteligência, além de outros técnicos da Polícia atuam no caso, levantando informações junto a fontes, de forma a produzir caminhos possíveis linhas de investigação.
Escusando-se de antecipar maiores detalhes para não prejudicar o andamento das investigações, Sílvio Maués esclareceu que não procedem as informações de que Jairo teria revelado quem eram seus algozes antes de morrer.
“Não podemos ampliaras expectativas de uma investigação de circunstâncias complexas, mas a Polícia tem concentrado esforços para avançar com maior rapidez possível, mas temos que trabalhar com critérios, e isso demanda tempo, e esforços de outros serviços e instituições”, disse o delegado na coletiva.
No decorrer das investigações, testemunhas serão ouvidas para prestar informações a respeito da vítima.
Qualquer informação que ajude a localizar os autores do crime deve ser repassada ao fone 181, o Disque Denúncia. A ligação é gratuita e quem ligar não será identificado.
No dia anterior a sua morte, o radialista Jairo Sousa havia revelado em seu programa líder de audiência na Pérola 92.1 FM Bragança do Pará que estava a ser ameaçado de morte.
Ele foi abatido a tiros  por volta das 5 horas do dia 21 de junho, no momento em que se dirigia ao seu local de trabalho, no centro de Bragança.
O crime chocou o Município e teve grande repercussão nas redes sociais.

Fonte © Francisco Weyl (DRT 2161) / Tribuna do Salgado


Tecnologia do Blogger.