#ORÇAMENTO “Vereador solicita correção na Lei de Diretrizes Orçamentárias”

A primeira LDO da gestão do prefeito Raimundão tem que ser revisada por causa de erros cometidos pelos vereadores, que teriam estipulado valores acima daqueles previstos na Constituição Federal para as operações financeiras do Executivo Municipal.
Fontes informaram que informações pouco precisas, falhas de nomenclatura, e até de quantitativos teriam sido identificados no documento final da LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias do Município de Bragança do Pará.
A sessão extraordinária convocada para a manhã desta quarta-feira (5/7), leva ao plenário, propostas de correções da LDO, aprovada, dia 29 de junho, com erros.
A sucessão de erros na proposta apresentada pelo Executivo e “emendada” pelo Legislativo, provocou a convocação de uma sessão extraordinária, conforme proposta do vereador Rivaldo Miranda (PMDB), que identificou as imprecisões que necessitam ser corrigidas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).
Com grande pauta, público nas galerias, a reunião teve direto à fala do secretário de saúde, do secretario executivo de gabinete, do Bispo, e entrega de abaixo-assinado, além da rápida aprovação da LDO, sem grandes discussões pelos vereadores.
A LDO trata de metas e prioridades do município que irão nortear o orçamento.  A Lei é como uma prévia para o Orçamento de 2018, documento que detalha os gastos para o próximo ano. Indica áreas que receberão investimentos, mas não é uma determinação orçamentária, uma vez que não prevê valores.
Além de errado, segundo o vereador Rivaldo, o processo está viciado, entretanto, resta saber se por falta de tempo ou o despreparo técnico no trato das questões administrativas, entretanto, as alterações serão realizadas em conjunto pelos vereadores, o que significa que talvez as emendas sejam até piores que os sonetos.
Na sessão camarária desta quarta-feira (4/7), em que vão “corrigir” os erros que eles próprios cometeram na votação da LDO, cada vereador embolsará a módica quantia de R$ 300 reais , ou seja, até parece que “erraram” de propósito.
Somando-se os 17 vereadores, o nosso rico Município que não precisa de dinheiro para nada, vai gastar R$ 5 mil e cem reais nesta sessão extraordinária.
Mas, isso não é nada, se comparado aos R$ 136 mil reais que os vereadores recebem todo mês, atingindo a astronômica cifra de R$ 1 milhão 768 mil reais, apenas para os salários dos representantes do povo.
Isso, graças a Resolução 465/2012, aprovada no começo da legislatura, e que aumentou o salário dos vereadores para R$ 8 mil reais.


                                             Fonte © #TRIBUNADOSALGADO


Tecnologia do Blogger.