#COLABORADORES "Quem é quem na Tribuna do Salgado"


Articulistas, cronistas, fotógrafos, cartunistas, jornalistas, realizadores, editores, colaboradores da TRIBUNA DO SALGADO - por ordem alfabética

EMMANUEL, Paulo
É bicolor, cartunista, chargista, ilustrador, quadrinhista, modelador, artista plástico, e jornalista profissional desde 1987. Começou profissionalmente no Jornal “A Província do Pará”, onde atuou como diagramador, ilustrador, chargista e editor. Publicou ilustrações em jornais sindicais , instituições e revistas de humor em nível nacional, como MAD, Mil Perigos e Metal Pesado.  Tem premiação internacional e foi duas vezes finalista do Salão Internacional do  PortoCartoon  ( Portugal) – conquistando uma menção honrosa em 2010. Premiado nos salões da Amazônia -2009 e Manaus- 2014. É Diretor de cultura do IPF-DH ( Instituto Paulo Fonteles de Direitos Humanos).

GIROTTO DE BRITO, Denis
Professor, escritor e designer editorial. Autor de "Contos para uma noite de insônia", entre outros.  Designer Editorial na empresa Pará.grafo Editora. Professor vinculado ao Governo do Estado do Pará – SEDUC. Estudou Sistemas de Potência na Universidade Federal do Pará – UFPA. E, Física, no IFPA Campus Bragança.

SANTEIRO, Sérgio
Presidente de honra do FICCA - Festival Internacional de Cinema do Caeté, cineasta, professor, formado em Sociologia e Política pela PUC-RJ em 1967. Realizou exclusivamente filmes de curta-metragem, em geral documentários, marcados por forte sentido de experimentação.
Militante da causa do cinema independente brasileiro, foi um dos fundadores da Associação Brasileira de Documentaristas, tendo integrado suas primeiras diretorias, vindo a ser presidente da ABD do Rio de Janeiro (1981-83) e posteriormente da ABD Nacional (1997-99). Foi um dos grandes batalhadores pela implantação da Lei do Curta nas décadas de 1970-80, e ainda hoje é um dos maiores defensores da volta da aplicação deste mecanismo.
Iniciou-se em cinema com o curta "Paixão", em 1966, e foi diretor-assistente em "Os Herdeiros" (1970), de Carlos Diegues. Em 1989, quatro de seus curtas ("O Guesa", "Viagem Pelo Interior Paulista", "Ismael Nery" e "Encontro com Prestes") foram reunidos pela Funarte em videofonograma da série "Brasilianas" número 10 (VHS/NTSC, 55 min; recentemente relançado em DVD).
Chefiou o Departamento de Cinema e Vídeo (1996-99) e dirigiu o Instituto de Arte e Comunicação Social (1999-2003), Universidade Federal Fluminense, quando a partir de 2000 implantou no Instituto os dois canais públicos de televisão de Niterói: a Unitevê, canal universitário, e a Tv-Comunitária. Também lecionou cinema no CUP - Centro Unificado Profissional, de 1975 a 1981; e na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, de 1975 a 1979.
Mantém uma coluna semanalmente às terças no jornal “A Tribuna”, de Niterói/RJ, transcrita em www.culturadigital.br/santeiro, e, agora, também aqui, na #TS.

STEFANO, Lucas
Nasceu em Bragança, Pará, 18 de setembro de 1995. Desde a adolescência manifestou forte interesse por assuntos ligados à Literatura, tendo em especial o foco voltado para a Literatura brasileira, francesa e russa do século XIX.  Discente da turma de História 2013 da UFPA-Campus Bragança, onde defenderá a monografia “A Amazônia na Sapucaí: Uma análise sob a perspectiva da Nova História Cultural (1997-2013)”.
Criador de conteúdo do blog “Ler, Resenhar e Aprender”, em atividade desde janeiro desse ano. Já publicou mais de 70 textos, 50 dos quais, resenhas, desde Alexandre Dumas pére a Stephen King.
Administrador do grupo no facebook “Literatura Africana em Língua Portuguesa”. Criado em Maio de 2017, o projeto de resenhas “Literatura Africana em Língua Portuguesa”, objetiva ampliar a divulgação da literatura africana dos países que tem o português como uma das línguas oficiais para o maior número de pessoas possível.
O projeto encontra alicerce na legislação vigente, que tornou obrigatório desde 2003, com a lei 10.639 o ensino de História e Cultura Africana e Afro-brasileira nas escolas de todo o país.
E, para cumprir tal missão, foram selecionados 20 textos a serem postados com frequência semanal em parceria com o Blog Tribuna do Salgado. São ao todo 15 resenhas e 5 poemas de diversos autores dos 5 países que integram o PALOP (Países Africanos de Língua oficial portuguesa): Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe.
Sintam-se convidados a participarem dessa viagem literária.
Contatos:
Blog “Ler, Resenhar e Aprender” : https://lreaprender.blogspot.com.br/ 
Literatura Africana em Língua Portuguesa: https://www.facebook.com/groups/369102730158037/

TARSOS DE SOUSA, Gamaliel
Bragantino, licenciado Pleno em Pedagogia pela UFPA/Campus Bragança, Especialista pela UFPA em Saberes Culturais e Educação na Amazônia, Mestrando em Ciências da Educação.
Professor concursado do Município de Bragança, servidor público estadual concursado como Técnico Educacional; professor Colaborador da UFPA/PARFOR, disciplina Filosofia da Educação, Sociologia da Educação, Política Educacional, Sociedade, Estado e Educação, Didática e Legislação Educacional; professor colaborador da Faculdade de Bragança (FABRA), disciplina do campo pedagógico.

TRINDADE, Dri
A fotógrafa, produtora cultura e diretora de arte Dri tem vocação artística desde criança quando começou a desenhar e a despertar o gosto pelas artes, que mais tarde se revelou pelos story boards e rabiscos que fazia para cenas, cenários e figurinos de filmes.
Bacharel em Direito pela Universidade da Amazônia, preferiu trocar o Código Civil e Penal pelas máquinas fotográficas, tendo se dedicado à captura de imagens cotidianas, e mais tarde se interessado pelo fotojornalismo.
Participou de várias produções de obras do realizador Márcio Barrados (“A poeta da Praia”, “Filho de Xangô”, “Os comparsas”, “O mastro de São Caralho”) e de Francisco Weyl (“Rumo Norte”, “Memórias quilombolas”), além de ela própria ter realizado filmes infantis de caráter experimental.
Criadora do FICCA, festival do qual é produtora e articuladora em 2015, atua como fotógrafa da prefeitura de Bragança e do jornal “Tribuna do Salgado”, além de ser uma das organizadoras do Sarau da Lua Minguante, projeto.

WEYL, Francisco
O autodenominado Carpinteiro de Poesia (e de Cinema), poeta, realizador, cineclubista, e professor de arte, estética, filosofia, e cinema, Francisco Weyl, é Mestre em Artes (2014), e Especialista em Semiótica (2003), pela Universidade Federal do Pará UFPA; e graduado (Bacharel) em Cinema e Vídeo (Escola Superior Artística do Porto - ESAP / Portugal - 2001); ministrou aulas no ensino superior em Cabo Verde (Universidade Jean Piaget de Cabo Verde - UNIPIAGET-2005/2006/2007), e no ensino médio, em Portugal (Escola Profissional da Região do Alentejo - EPRAL /2000). Foi professor de Antropologia da Imagem no Mestrado do curso de Antropologia, na UFPa (2012); e na pós-graduação de  Arte Fotográfica Digital Estácio/Iesam (2015), e ainda ministrou aulas de Estética, Filosofia, e Metodologia de Pesquisa em Artes no Parfor Ufpa 2017. Atualmente, como jornalista, dirige e edita o Jornal Tribuna do Salgado, em Bragança, Pará, onde também coordena projetos educativos de intervenção artística e social que provocam a criação de coletivos, como o FICCA - Festival Internacional de Cinema do Caeté; e o Sarau da Lua Minguante. Escreveu e publicou artigos científicos e jornalísticos, dentro e fora do país, Lançou três livros - edição de autor, todos em Portugal (Diário de Naufrágio - 1999 / Virgens Viragens - 2000; e Chapéu do Metafísico - 2001). É ativista em redes sociais, presenciais e virtuais. Mora em Bragança, Avenida Marechal Floriano Peixoto, 1613, Centro, telefone: 91 - 98847-7777. Marujeiro associado á Irmandade de São Benedito de Bragança, ocupa ainda a cadeira número 35 (Patrono Cônego Raimundo Ulysses de Albuquerque Penafort), Academia de Letras do Brasil – ALB (Seccional Bragança), entidade da qual é também presidente-executivo regional, e pela via da qual foi reconhecido como Doutor Honoris Causa . (Plataforma Lattes: http://lattes.cnpq.br/2981504017682094)



Tecnologia do Blogger.