#ECONOMIA "Piscicultura e Aquicultura com investimentos de R$ 4 MI na Região dos Caetés"



17 piscicultores e aquicultores bragantinos estão cadastrados no programa Pará 2030, que considera estratégicas as cadeias produtivas destes setores para o desenvolvimento da região dos Caetés.
Por causa disso, cerca de R$ 7 milhões de reais deverão ser investidos na região até o final deste governo, de acordo com Eduardo Costa, presidente da a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa), que esteve esta semana em Bragança.
O motivo foi a assinatura de um convênio 3/2017, com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), e a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica do Pará (Sectet).
Segundo a Agência Pará, com o convênio, o governo investirá cerca de R$ 1,8 milhão somente nas atividades do Centro de Piscicultura do IFPA (Cepis), o que fortalece o Polo Científico e Tecnológico de Bragança.
A contrapartida do IFPA é a construção do Laboratório de Biologia Molecular, com a instalação de 6 tanques, com 12 mil metros cúbicos de lâmina d’água em viveiros para alevinos.
De acordo com o professor Cristovam Guerreiro Diniz, o Cepis desenvolverá pesquisas, a partir de várias matrizes de diversas regiões, até encontrar uma espécie de alevino que seja adequada ao Caeté.
Ele diz que o centro promoverá a formação de profissionais na área, e que, até agosto, já terão sido compradas as matrizes, efetuados os cruzamentos, selecionadas as espécies, cavados, preparados, e povoados os seis tanques.
E também já estarão avançados os estudos com a tecnologia de fronteira de um sequenciador genético de nova geração, o que permitirá o desenvolvimento de um pacote tecnológico.
Com garantia de melhoria da qualidade genética do pescado produzido na região, a meta é criar cerca de 500 mil novos alevinos (filhotes) de surubim e piaus, com um acréscimo de 150 toneladas, na produção anual de surubins, e 300 toneladas, a mais, na produção de piaus.
Estima-se que 400 mil alevinos de piau serão produzidos ao ano, além de outros 110 mil alevinos de surubim, com previsão de

A apresentação do convênio no IFPA contou ainda com a participação do prefeito em exercício de Bragança, Mário Ribeiro; de Maria Amélia Rodrigues da Silva Enriquez, secretária adjunta da Sectec; do reitor do IFPA, professor doutor Cláudio Alex Rocha; e do professor e mestre Danilo Cunha, diretor geral do Campus do IFPA em Bragança; além do professor doutor Mauro Damasceno de Melo, coordenador de pesquisa e pós-graduação do IFPA; e do professor e mestre Cassio Eduardo Flexa, coordenador do convênio firmado.

Este convênio complementa outro assinado em janeiro, com a Universidade Federal do Pará (UFPA), pelo programa Inova Pará, que destinou R$ 3,4 milhões à implantação do Centro de Pesquisas em Aquicultura (Ceanpa) de Bragança, que beneficia a formação de profissionais pelos cursos de Engenharia da Pesca e as pós-graduações em Biologia Ambiental e em Aquicultura e Pesca. E, além disso, a Fapespa também vai investir R$ 1,5 milhão em novos editais destinados ao fomento à pesquisa especificamente ao Polo Científico e Tecnológico de Bragança.


Fonte © #TRIBUNADOSALGADO
(Com informações de Lázaro Magalhães/Agência Pará / FOTO AGÊNCIA PARÁ)

Tecnologia do Blogger.