#POÉTICA Girotto Brito organiza antologia "Pérolas do Caeté"

O poeta e escritor Girotto Brito articula a publicação de uma coletânea de poemas com a participação de diversos poetas bragantinos ou que possuem forte vínculo com a cidade-pérola. O livro está em fase de editoração e seu lançamento está previsto para julho de 2017, pela Pará.grafo Editora. 
A obra reúne 19 poetas e poetisas, de nomes que carregam anos de experiência literária e também os que iniciam nessa caminhada. Ei-los:
Abilio Pacheco
Alef Tavares
Diego Wayne
Elsen Alencar
Fábio Pontes
Francisca Galeana
Francisco Weyl
Geovana Brito
Girotto Brito
Henrique Brito
Indira Eyzaguirre
Iran Lobato
Ivaneson Silva
Jacqueline Bianca
John Lennon
Luid Augusto
Raphael Soares
Rosália Oliveira
Valéria Sousa

A capa traz a fotografia de Lisandra de Nazaré P. Brito e design de Girotto Brito, que também atua como designer editorial. Com exclusividade, trazemos a seguir o prefácio da obra, escrito pelo próprio organizador:

O canto do galo...


Há, nessa cidade, algo místico. Uma coisa inominada que nos aprisiona num estado letárgico de bem-querer.  Bragança tem esse poder inconsciente de se fazer perpétua na lembrança de quem quer que a vivencie. E é nessa terra paraoara, nas margens do Caeté, sob a brisa litorânea do Atlântico, que a poesia se enlaça aos corpos e almas daqueles que a tocam — mesmo que por um breve período. 

Esta antologia se propôs a reunir vozes poéticas que, de algum modo, tenham um vínculo especial com esta cidade. Vínculo de raiz, de trabalho, de estudo ou de passagem. Aqui comungam poetas e poetisas de diferentes idades e experiências, mas que convergem num único espírito de bragantinidade. Essas vozes são reflexos da poesia bragantina e paraense produzida atualmente. Cada poema traz traços marcantes dos poetas que o escreveram: são imagens poéticas de suas aspirações e perspectivas. Cada poeta é uma pérola calcificada no âmago desta ostra-mãe que vez ou outra se abre para exibir sua criação artística. 

Este conjunto de poemas que você, leitor, segura nas mãos agora é mais que um livro, é sopro de vida — um grito que rompe o silêncio. 

Após um longo hiato literário, esta obra vem como o canto matutino de um galo para fazer despertar a poesia bragantina, adormecida e esquecida no meio artístico e educacional. Que estas vozes poéticas soem altas e em bom som, para acordar aqueles que ainda dormem, para fazer sonhar aqueles que estão acordados.

Bragança, 09 de janeiro de 2017.

Girotto Brito
Escritor bragantino
 
 

    FONTE © BLOG DO AUTOR 
(http://girottobrito.blogspot.com.br/2017/01/girotto-brito-organiza-antologia.html)

Tecnologia do Blogger.