#DESCASO “Jatene fecha 10 escolas, esquece a farinha, e descarta Bragança da Pará-2030”

A despeito do atual gestor municipal de Bragança, pertencer ao mesmo partido do governador do Estado do Pará, o PSDB, o fato é que Raimundo Oliveira  e Simão Jatene não falam a mesma língua, quando o assunto é Bragança.
Todo mundo sabe que o antigo gestor, João Nelson Pereira Magalhães, nem a Ana Júlia ele apoiou, comprometido que estava já desde 2008 com Jatene.
Por questões locais, o Padre também não fechou com Helder, em 2012,  mas, mais por causa do ex-prefeito Edson Oliveira, do que por causa da deputada Simone Morgado.
Discretamente, o Padre apoiou Jatene e com ele fez acordo, tanto é que conseguiu algumas ações e promessas do governador, como o asfaltamento de vias e a liberação de recursos para o terminal que afinal não foi erguido.
E todos também sabem que esta não foi a única coisa que o ex-gestor deixou na promessa e na conversa.
Mas a questão é que nas eleições municipais do ano passado, o senador Flexa Ribeiro – que tem intenções  de ser o futuro governador do Pará - apoiou Raimundão, fato com o qual Jatene não ficou muito à vontade.
Mesmo assim, e apesar de ter prometido ao Padre que não iria apoiar Raimundão, Jatene lhe deu um by pass, veio a Bragança, mas sem participar de comício do então candidato do PSDB, em 2016.
Mal começou o ano, entretanto, o governo Jatene faz gestos contrários a Bragança.
O primeiro deles, foi o reconhecimento, pela SUDEME – secretaria de desenvolvimento do Pará, que Capanema entra na Pará-2030 como polo de desenvolvimento do Nordeste paraense.
Separatismo bairrista que só faz enfraquecer a Região, esta disputa entre os dois municípios é absolutamente sem sentido, sendo por causa disso, aliás, que não vingou a implantação de uma Universidade do Nordeste.
Enquanto ficavam inflando e disputando os egos, os demais municípios se articulavam de forma institucional, e empresarial, e agregavam valores políticos aos seus anseios.
Mas o fato é que, além dessa, digamos, escolha política em benefício de Capanema, na Pará-2030, recentemente, Jatene anunciou  que vai construir uma fábrica de beneficiamento da mandioca em Bonito.
Com isso, ele praticamente ignorou os esforços de Bragança em qualificar a sua farinha e diferenciar a sua produção, tornando-a suporte não apenas de desenvolvimento, mas também de atrativo turístico.
Não bastasse este fato, das cerca de 70 escolas fechadas pelo governo tucano no Pará, dez delas localizam-se no Município.
Em Portaria N° 002 / 2017- SAEN/SEDUC-PA, assinada no dia 6/1/2017, pelo secretário-adjunto de Ensino da secretaria de Educação do Estado do Pará, José Roberto Alves Silva, sessenta e nove escolas foram desativadas em todo o Estado.
Em comentário nas redes sociais, o atual secretário municipal de Educação de Bragança, Luís Augusto Soares, afirma que algumas destas escolas não ofereceram demandas nas comunidades que justificassem a permanência do Estado.
Entretanto, a antiga gestora da pasta, Conceição de Maria Pinheiro, disse que essas dez escolas desativadas pelo Estado foram absorvidas pelo Município.
Ela informou ainda que, nos anos 2015 e 2016, ocorreu um aumento significativo no número de matriculados em Bragança, o que de fato evidencia um crescimento enão uma redução de demandas.
Entendemos, entretanto, que não adianta justificar o óbvio.
Trata-se de um projeto de destruição do ensino público e de fortalecimento da educação privada, organizado em escala nacional, e contra o qual nós nos manifestamos solenemente.
Estes três fatos, articulados, evidenciam – para além de ausência de políticas públicas – um direcionamento contra Bragança, razão pela qual seus cidadãos precisam reagir.
 O mínimo que se espera neste momento é que a Câmara Municipal convoque uma Audiência Pública e convoque os líderes partidários e do governo para esclarecer o que de fato está a ocorrer.
Se não tomarmos atitudes enérgicas agora, ficaremos a reboque das decisões de quem não tem compromissos com o Município.

ESCOLAS DESATIVADAS EM BRAGANÇA
1.    EEEF Augusto Montenegro, Cod. URE/USE 00001, Cod. Inep 15056937, Município Bragança;
2.    EEEF Cesar Pereira, Cod. URE/USE 00001, Cod. Inep 15058840, Município Bragança;
3.    EEEF Jesuina Rosario Melo, Cod. URE/USE 00001, cod. Inep 15057240, Município Bragança;
4.    EEEF Jose de Anchieta, Cod. URE/USE 00001, Cod. Inep 15056694, Município Bragança;
5.    EEEF Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, Cod. URE/USE 00001, Cod. Inep 15056872, Município Bragança;
6.    EEEF PE Paulino Brambilla, Cod. URE/USE 00001, Cod. Inep 15056732, Município Bragança;
7.    EEEF Pedro Sousa, Cod. URE/USE 00001, Cod. Inep 15057160, Município Bragança;
8.    EEI Taperacu Porto, Cod. URE/USE 00001, Cod. Inep 15057208, Município Bragança;
9.    EF Jose Bezerra de Araujo, Cod. URE/USE 00001, Cod. Inep 15539911, Município Bragança;
10.    EF Nova Caninde, Cod. URE/USE 00001, Cod. Inep 15058964, Município Bragança

   
Fonte © #TRIBUNADOSALGADO
Tecnologia do Blogger.