#FOTOGRAFIA "Carpinteiro faz texto poético para expô de fotografias Os 3 Santo"

Todo mundo olha e sente, de forma diferente.

Porque tem um jeito muito especial de ser, que demarca a sua geografia no espaço em que habita, vive, passa.
O seu território, mas não a sua propriedade.
Há em todos uma percepção própria sobre as coisas que só a si pertence.
E um lugar outro, onde a experiência se alimenta de um saber lapidado em fogo.
Um lugar silencioso, que, mesmo sem palavras, evoca uma sucessão de frases.
E reveste, com movimentos e cores, as pinturas, que só fluem em nossas almas.
E sem nenhum motivo aparente, imprimem-se em fragmentos de um tempo passageiro, cujo cheiro transborda.
Imagens impregnam o imaginário de sentidos quando se desprendem do real, no exato momento do acontecimento.
Três fotógrafos, três olhares, três câmeras.
Focados numa mesma realidade, religiosa.
Nos caminhos da Irmandade.
Nas danças das marujas.
Nas cavalhadas.
Seus ritos, mitos, manuscritos, traduzidos.
Em campos, colônias, praias.

© Carpinteiro

Texto escrito especialmente para a exposição itinerante de fotografias de Adriana Weyl, Pedrosa Neto, e San Marcelo, que estará patente no IFPA (Campus Bragança), de 8 a 10/12 (período do III FICCA); na UFPa (dia 14/12, durante cerimônia de posse dos neo-acadêmicos da Academia de Letras do Brasil - Seccional Bragança - ALB-BRAGA); é dia 18/12, no Sarau ALB, na Praça do Coreto, em Bragança do Pará.
Tecnologia do Blogger.