#AUMENTO “Câmara de Vereadores quer dar um baypass nos bragantinos”




Mais um recuo da Câmara de Vereadores diante da mobilização popular, hoje.
A articulação da comunidade mandou para trás o Projeto de Lei 1300.
O Projeto dispõe sobre o subsídios do prefeito, vice, e secretários municipais da próxima legislatura.
O  documento foi assinado Datado a 19/09/2016, pela presidente da Casa, Irene Farias, Edivaldo Costa, e César Monteiro respectivamente, 1º e 2º secretários.
Na sessão desta quinta (10/11), diante das galerias ocupadas por dezenas de pessoas, a maioria dos vereadores disse que não passou de boato a informação de que o projeto seria submetido a votação.
Não sabemos, entretanto, se o  Projeto recebeu o aval ou o veto do Prefeito.
Mediante a proposta, o Município pagará mais R$ 1 mil reais sobre os vencimentos dos gestores.
Assim sendo, um Vice ganha R$12 mil, salta para R$ 13 mil; um Secretário recebe R$ 6 mil, receberá R$ 7 mil; e um prefeito, que ganha R$ 17 mil, ganhará R$ 18 mil.
Ou seja, cerca de meio milhão de reais sangrados do Município em tempos de crise, quando a Câmara deveria era dar o exemplo e cortar na própria carne, propondo a redução dos salários.
É, a mentira tem pernas, é bom que se diga, só que a Câmara tem poder de formular projetos, e os enviar ao Executivo, e barganhar  o aumento dos vereadores, portanto, legislar em causa própria.

E estas barganhas políticas são tão viscerais, que o prefeito Nelson deixou o vice Nadson fazer da secretaria de saúde uma subprefeitura logo no início de seu governo.
E, mais tarde, para reduzir o estrago da ruptura de seu vice, fez de Irene presidente da Câmara, e de seu esposo, secretario de infraestrutura em plena época de campanha eleitoral.

Por força do cargo que ocupam na atual legislatura, entre os assinantes do Projeto, encontram-se dois vereadores (agora reeleitos), Irene e César.

E ainda um terceiro reeleito, que,não assinou o documento, Chjarlão.
Charlão foi o vereador menos votado, obteve 460 votos.
Irene recebeu 1796 votos, muito mais do que alcançou na sua primeira legislatura.
Reeleito, César Monteiro obteve 946 votos.
Provavelmente, os vereadores ainda farão pelo menos cinco sessões até o final da atual legislatura.
Pelo sim, pelo não, é bom ficar de olho, comunidade.

Se o povo se une, ele barra o que ele quiser.


Fonte © #TRIBUNADOSALGADO (Texto: Francisco Weyl)



Segue texto postado na página FB da TRIBUNA nesta quarta (10/11)
#OCUPAÇÃO > "Bragança vai barrar aumento de vereadores" > Apesar de fortes denúncias contra a presidente da Câmara Municipal de Vereadores, ação que inclusive já está na alçada do MP, e que somente não se tornou em CPI por ter sido arquivada, mas, mesmo assim, a Câmara de Bragança quer votar, nesta quinta-feira, 10/11, o aumento dos salários dos vereadores, e até o do prefeito, o qual aliás ainda nem decidiu se assina ou se veta a proposta de reajuste de vencimentos do Legislativo, e até do chefe do Executivo Municipal, e que entrará na pauta da sessão para a qual ocorre uma grande mobilização contrária, inclusive com a promessa de ocupação da Casa por alguns movimentos sociais. Os diálogos sobre o assunto tomam conta da cidade . E circulam nos grupos de watzzap, onde são partilhadas as imagens fotográficas do tal Decreto de aumento. Em plena crise política e econômica, sem dúvida, que esta será mais uma declaração de irresponsabilidade de certos vereadores, a maioria dos quais já a deixar o mandato por não terem sido reeleitos, reprovados, portanto, pelo povo. (Francisco Weyl)
Tecnologia do Blogger.