#SEM-FRONTEIRAS "Cinema regional fortalecido pelo FICCA em Bragança"



O FICCA - Festival Internacional de Cinema do Caeté, apresenta ao público em geral os indicadores de suas ações nos seus três anos de atividade.
O Festival é uma realização do Jornal TRIBUNA DO SALGADO, em parceria com a Academia de Letras do Brasil - Seccional Bragança, e Programa “Tô na Rede” (Fundação educadora de Comunicação – Bragança Pará).
Nos seus primeiros dois anos, teve apoio precioso da UFPa - Universidade Federal do Pará – Campus Bragança.
E hoje conta com o apoio do Instituto Federal de Educação do Pará - IFPa.
E também com a #REDE de hotéis municipais (Aruans/Solar do Caeté/Alternativo/Palace/Pousada de Ajuruteua).
Em três anos de atividade, o festival ajuda a consolidar a cultura cineclubista e cinematográfica, a partir de uma perspectiva democrática, e de um olhar crítico sobre o cinema (notadamente o brasileiro – amazônida - paraense).
Com oficinas, conferências, rodas de conversas, e sessões cinematográficas, nas escolas públicas, comunidades quilombolas, praias, e praças, o FICCA se constitui numa práxis de resistência cultural, independente, nas áreas urbana e rural, do Município de Bragança,
O FICCA, acima de tudo, cumpre com o seu papel, qual seja o de valorizar o cinema nacional e fortalecer a cinematografia que se faz na Região, particularmente aquela produzida no Pará.



Nos seus três anos, o FICCA recebeu inscrição de 142 filmes, divididos pelos anos de sua realização.
Assim, em 2014, foram 36 filmes inscritos, 5 dos quais estrangeiros e 31 nacionais, sendo 21 de origem amazônica (13, de autores paraenses).
Em 2015, 52 obras foram inscritas.
Destas, 8 obras estrangeiras, e 42 nacionais, das quais, 10 realizadas por paraenses.
Já em 2016, foram 54 inscrições, 5 estrangeiras 48 nacionais, 7 paraenses.
Entre os países que mais enviam obras ao festival, destaca-se Portugal, com 11 obras, divididas pelos anos de realização do evento, ou seja: 4, em 2014; 5, em 2015; e 2 em 2016.
Cabo Verde também se destaca, com o envio de 5 filmes, sendo 2 em 2015, e 3, em 2016.
Os estados de São Paulo (27), Rio de Janeiro (17), Rio Grande do Sul (9), Goiás (5), e Rio Grande do Norte (7), Bahia e Minas Gerais (3, cada), são os que mais se destacam entre aqueles que mais enviaram filmes ao festival.
Com 30 filmes enviados, o Estado do Pará está na frente da Região como aquele que mais marca presença no FICCA.
Esta empreitada, portanto, já é uma marca no calendário cultural de Bragança e a afirmação histórica da força incondicional de todos que fazem o FICCA ser o que ele é.

Francisco Weyl
Criador/Diretor do FICCA
Festival Internacional de Cinema do Caeté


2014
Filmes Estrangeiros
PORTUGAL (4); FRANÇA (1)
Filmes Nacionais
RJ (03); SE, CE, RS, MA, DF, PB, PR (1)
Filmes Regionais
PA (13); RO (4); AP (2); AM (2)

2015
Filmes Internacionais
PORTUGAL (5); CABO VERDE (2); EUA (1)
Filmes nacionais
RJ (12); SP (9); RN (6); GO (5); RS (3); BA (2); MA; PE; PE; ES; PI; CE (1)
Filmes Regionais
PA (10)

2016
Filmes Internacionais
CABO VERDE (3); PORTUGAL (2)
Filmes nacionais
SP (18); RS (5); GO (4); MG (3); RJ (2); PB; MT. RN; PR; CE; PE; BA (1)
Filmes Regionais
PA (6)

VENCEDORES 2014
Melhor DOCUMENTÁRIO: feli(Z)cidade, de Clementino Júnior (RJ)
Melhor LONGA-METRAGEM: Sinfonia da Necrópole, de Juliana Rojas (SP)
Melhor MÉDIA-METRAGEM: O Time da Croa, de Jorane Castro (PA)
Melhor CURTA-METRAGEM: João Heleno dos Brito, de Neco Tabosa (PE)
Prêmio IMAGEM-TEMPO: Memórias do Cine Argus, de Edivaldo Moura (PA)
Prêmio IMAGEM-MOVIMENTO: Janaína Colorida Feito o Céu, de Babi Baracho (RN)
Prêmio do JURI POPULAR: Sêo Inácio - ou O cinema do imaginário, de
Helio Ronyvon (RN)

VENCEDORES 2015
Melhor LONGA-METRAGEM: Prólogo, de Gabriel Marinho (DF)
Melhor MÉDIA-METRAGEM: Gotas de Fumaça, de Ane Siderman (RS)
Melhor CURTA-METRAGEM: Conflitos e Abismos, de Everlane Morais (SE)
Melhor DOCUMENTÁRIO: Dias de Mangal, de Evandro Medeiros (PA)
Melhor DIREÇÃO: Juliette Yu-Ming (Filme: Rito de Passagem – RJ)
Melhor ROTEIRO: Bobô,  Longa de Inês Oliveira (Portugal, Guiné, Brasil)
Melhor MONTAGEM: Marcley de Aquino (Filme: Desencontro Marcado,  de Alice Bessa, Duarte Dias e Marcley de Aquino – CE)
Melhor FOTOGRAFIA: Lucian Rosa, Bem Hur Real, Kenny Mendes, Nadia Biondo (Filme: Louises - Solrealismo Maranhense, de Keyciane de Sousa Martins – MA)
Melhor TRILHA SONORA: Cláudio Lavôr (Filme: Filhos da Hutukara, de Ana Lúcia Mendina – RR)
Melhor FILME JURI POPULAR: Sophia, de Kennel Rógis (PB)
Tecnologia do Blogger.