#FICCA "O que você sempre quis saber mas nunca teve coragem de perguntar"



O Festival Internacional de Cinema do Caeté – FICCA, iniciativa sem fins comerciais do Jornal TRIBUNA DO SALGADO, que se realiza pela terceira vez este ano.

BRAGANÇA, 8, 9, 10/12
Entre 8 e 10 de Dezembro de 2015, o FICCA se torna em espaço democrático de debate sobre sociedade e cultura, e de enfrentamento do paradigma dominante da indústria cultural e das políticas públicas que não chegam nas comunidade periféricas.

PRÊMIOS
O III FICCA reconhecerá com prêmios filmes nacionais e estrangeiros , independentemente do formato de captação e do tempo de duração da obra, e mediante critérios de ordem artística, estética, poética, pedagógica, política, e social, nas seguintes categorias:
  1. Grande Prêmio do JURI (Concedido pela Comissão Oficial de Juris pela sua qualidade estética, técnica, artística e política, em geral);
  2. Prêmio do Juri Popular (Critério livre, concedido a partir de votação popular);
  3. Prêmio Imagem-Tempo (abrange as categorias: cenografia, figurino, fotografia, maquiagem);
  4. Prêmio Imagem-Movimento (abrange trilha sonora, montagem, roteiro, direção);
  5. Prêmio Experimental (abrange animação, videoclips, e outras experiências audiovisuais).
Além destas categorias, o festival concederá o “Grande Prêmio FICCA de Direitos Humanos” ao filme cuja narrativa seja sobre os direitos humanos, de juventude, mulheres, comunidades LGBTs, indígenas, e tradicionais, pescadores, e extrativistas, realizados com um caráter político e pedagógico, e que sejam suportes em projetos de escolas e comunidades públicas.

COMISSÃO DE JURIS
Presidida pelo cineasta SÉRGIO SANTEIRO, a Comissão dos Juris Oficial é constituída pelo jornalista Francisco Weyl; pelo realizador e fotógrafo San Marcelo; e pela fotógrafa e produtora cultural Dri Trindade.

O FESTIVAL
O festival inverte a lógica do mercado e substituí a relação hierárquica pela construção colaborativa do conhecimento.
E se materializa de forma colaborativa, a partir de redes solidárias - de compartilhamento de conhecimentos - via práticas que envolvem e reconhecem as comunidades locais.
A partir da troca de olhares, experiências, e perspectivas, a cena do FICCA reúne criadores de diversas linguagens, poesia, música, cinema.
O FICCA circula entre centro e periferia, praias e colônias, campos e comunidades periféricas, quilombos, espaços culturais e religiosos, IFPa (Vila Sinhá) e escolas públicas.

HOMENAGEM
Este ano, o festival homenageará ao cinema africano, particularmente o cinema de Cabo Verde, com a projeção de obras do realizador JÚLIO SILVÃO.

FEIRA DO LIVRO & FESTA DA DIVERSIDADE
Mas, além das projeções, rodas de conversas, minicursos, projeções, o FICCA este ano apresenta a Feira do Livro e a Festa da Diversidade, todas atividades abertas ao público em geral,
A Feira ocorre paralela ao festival, incorporando-se a programação do mesmo, e disponibilizando aos visitantes estandes de literatura bragantina, paraense, e de autores de outros estados e países.
A estrutura é simples, mas, a vontade é grande, teremos seis estandes para exposições e trocas, com a presença de livrarias, sebos, e de autores que lançarão suas obras no espaço “Antônio Bordalo”.
Declamações poéticas, encontro com autor, contação de estórias, lançamento de livros, oficinas, compõem a programação da feira.
Já a Festa da Diversidade Musical encerra o #FICCA.
E abre mais uma linha de ação, de uma cantoria, que, sendo poética, é também política.

REDEFICCA
Nesse sentido, queremos lhe convidar a participar conosco do festival de uma forma especial, como parceiro (a), o que fortalecerá a #REDEFICCA.
São projetos autorais, poéticos, e musicais, articulados a uma pratica de consciência estética, e de resistência, política, urbana, e rural.
Educadores e estudiosos, pesquisadores e fazedores da arte poética, da resistência, e da educação popular com sons e cantos contra-hegemônicos, juntos, numa experiência musical de caráter político, estético, artístico.

REALIZAÇÃO, PARCERIA, APOIO
Realizado pelo jornal TRIBUNA DO SALGADO, o FICCA tem a parceria do Instituto Federal de Educação do Pará – Campus Bragança; Academia de Letras do Brasil – Seccional Bragança; Programa Tô na Rede/Projeto Aluno Repórter; e, como apoio, HOTEIS Aruans Casarão; Palace; Alternativo; Pousada Ajuruteua; GRÁFICAS São João Batista e Grafipel; MÍDIA Rádio Pérola FM; BLOG Holofote Virtual; PRODUTORAS > Central de Produção, Cinema e Vídeo da Amazônia; Subversiva Produtora Cultural; ESPAÇOS Escola Rio Caeté;  Vacaria Club; COLETIVOS Bora; Pastoral da Juventude; ASSOCIAÇÕES Associação de Moradores do Conjunto Residencial João Mota II (Minha Casa, Minha Vida); Associação Remanescente Quilombola do América; Associação Nacional de Cinema e Audiovisual de Cabo Verde; Conselho Nacional dos Cineclubes Brasileiros – CNC; Federação Paraense de Cineclubes – PARACINE; Cineclube Amazonas Douro; Centro Cultural Cineclube Casa do Professor / Sarau da Lua Minguante / José Maria & Maíra Vieira.

FINANCIAMENTO COLETIVO

                Os produtores do FICCA, Adriana e Francisco Weyl, e San Marcelo

PROGRAMAÇÃO OFICIAL 2015

III FICCA – Festival Internacional de Cinema do Caeté
1ª FEBRALI – Feira Bragantina do Livro
1ª Diversi-FEST

5, 6, e 7/12 > Oficina de Fotografia & Cinema (Francisco Weyl/San Marcelo/Pedrosa Neto)
> Escola Rio Caeté (14H/17H30)
> Pastoral da Juventude (19H/21H30)

Quinta-feira, 8 de Dezembro de 2016

8 /12  > Auditório IFPA > Abertura Oficial
17H > Composição da Mesa > Abraão Vicente (Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde); Cláudio Alex (Reitor do Instituto Federal de Educação do Pará); Hilton Silva (Presidente da Casa e Gestor da Cátedra Brasil-África – UFPa); Josinaldo Reis (Presidente da Assembleia Geral da Irmandade de São Benedito); Roberto Amorim (Presidente da Academia de Letras do Brasil – Seccional Bragança); Francisco Weyl (Coordenador do III Festival Internacional de Cinema do Caeté); Sérgio Santeiro (Presidente do Juri)

18H > Desconferência-Relâmpago
+ Lançamento do livro “Anarcometodologia” (Luizan Pinheiro - UFPa)

19H > Execução do Hino de Bragança (Evandro Mesquita)
19H15 > Declamação de Poesia (Manoel Ramos)

19H30 > Projeção > “Guiné-Bissau, a esperança dos foliões”
+  “Eugênio Tavares” (Júlio Silvão Tavares/Cabo Verde)
20H30 > Roda de Conversa

22H > Vacaria Club > Concerto Projeto LP (Luizan Pinheiro)

Sexta-feira, 9 de Dezembro de 2016

9/12 > 9H / 20H > IFPA (Auditório) + Escola Rio Caeté
FICCA > Projeções de filmes a concurso
Paradoxos, Paixões e Terra Firme (Adriano Barroso/Pa/80 min) / Estatística (Anderson Litri/SP/7'24") / Nódoas (Ângelo Lima/GO/14'39") / Manancial (Bruno Soares/PB/7'27") / Meninas de Ouro (Carol Rooke e Matheus Maritan/MG/ 24') / Hora do lanche (Cláudia Matos/RJ/14'28") / Pulso (Dani Suzuki/RJ/15'32") / Por terra, céu e mar (Elton Vinícios e Hilton P.Silva/(PA/ 23') / Cinzas (Gustavo Guedes/RN/13'46") / Obra autorizada (Iago Cordeiro Ribeiro/BA/16'16") / Biston Betularia (Ive Machado/PR > 13’22") / Flor brilhante e as cicatrizes da pedra (Jade Rainho/SP/28'13") / O bailarino (Lipe Canhedo/MG/13')

9/12 > FICCA > FEIRA DO LIVRO (IFPa) > Espaço Armando Bordalo
9H/10H > Oficina Cinema & Literatura (Clei de Souza)
10H/11H > Declamação & Encontro com o autor (Claudio Cardoso)
11H/12H > Relato & Vivência > Música Popular (Evandro Mesquita)
14H/15H > Encontro com o Autor (Eduardo Santos)
15H/15H45 > Oficina de Cinema (Sérgio Santeiro)
15H45/16H30 > Lançamento de livro (Girotto Brito)

9/12 > 17H  > Quilombo do América + Associação Remanescente de Quilombolas
FICCA > Vivência Cultural + Roda de Conversa + Projeção
Equidade Racial (Danilo Gustavo Asp/PA/33’) +  Coeur cosmic comes toutes les femme (Misá/Cabo Verde/10’) +  Terra, Terra (Paola Zerman/Cabo Verde/37’)

Sábado, 10 de Dezembro de 2016

10/12 > 8H30H / 14H30 > IFPA (Auditório)
FICCA > Projeções de filmes a concurso
La Voisine (Lucas Vasconcelos/RJ/11'59")  / 34 (Marcela Nunes/RJS/12'26") / Tarja preta (Marcio Farias/PE/23'58") / O homem que virou armário (Marcelo Ikeda/CE/12'28") / Surto (Moysés Magalhães e Orlando Sérgio/PA/8’30”)            / Desvios (Pedro Guindani/RS/94') / Meu rio vermelho (Rafael Irineu/MT/20') / AGS (Rodiney Borges/SP/12'52")

10/12 > FICCA > FEIRA DO LIVRO (IFPa) > Espaço Armando Bordalo
9H/10H > Oficina Cinema & Literatura (Clei de Souza)
10H/11H > Declamação & Encontro com o Autor (Clei Souza)
11H/12H > Relato & Vivência > Teatro Popular (Cuité)
14H/15H > Encontro com o autor (Academia de Letras do Brasil – Seccional Bragança)
15H/15H45 > Oficina de Cinema (Sérgio Santeiro)
15H45/16H30 > Lançamento de livro (Ribamar Oliveira)

10/12 > 17H > Minha Casa, Minha Vida + Coletivo BORA
FICCA > Vivência Cultural + Roda de Conversa + Projeção
Educação Tradicional Munduruku (Amazônia em Chamas/PA/9’11”) + Coaraci (Marly Mendanha/GO/11’)  + Mestres Praianos do Carimbó de Maiandeua (Artur Arias Dutra/PA/15’)

10/12 > Vacaria
FICCA > DiversiFEST
20H > Anúncio dos Vencedores
20H30 > Projeção > Coisa Maravilha (Luciana Medeiros/PA/85’) & Roda de Conversa
22H > Apresentações poéticas e musicais  > Boi Vagalume / Buscapé  Blues / Carpinteiro de Poesia / Clei de Souza / Coletivo Bragantino de Poetas do Sarau da Lua Minguante  / Cobra Venenosa / Cuité /  / Curuperé / Diler Sales / Flávio Gama / Folha de Concreto  / Khoan / Luizan Pinheiro – LP / Manoel Ramos

11/12 > Centro Cultural Cineclube Casa do Professor /Praia de Ajuruteua
18H30 > Projeção > Filmes premiados #FICCA2016 & Roda de Conversa
Clei de Souza / Cuité / Francisco Weyl / Luciana Medeiros / Luizan Pinheiro / Manoel Ramos / Priscila Duque / San Marcelo / Sérgio Santeiro

INDICADORES
Em três anos de atividade, o Festival Internacional de Cinema do Caeté ajuda a consolidar a cultura cineclubista e cinematográfica, a partir de uma perspectiva democrática, e de um olhar crítico sobre o cinema (notadamente o brasileiro – amazônida - paraense).
Com oficinas, conferências, rodas de conversas, e sessões cinematográficas, nas escolas públicas, comunidades quilombolas, praias, e praças, o FICCA se constitui numa práxis de resistência cultural, independente, nas áreas urbana e rural, do Município de Bragança.
O FICCA, acima de tudo, cumpre com o seu papel, qual seja o de valorizar o cinema nacional e fortalecer a cinematografia que se faz na Região, particularmente aquela produzida no Pará.                                                                        
Nos seus três anos, o FICCA recebeu inscrição de 144 filmes, divididos pelos anos de sua realização.
Assim, em 2014, foram 36 filmes inscritos, 5 dos quais estrangeiros e 31 nacionais, sendo 21 de origem amazônica (13, de autores paraenses).
Em 2015, 52 obras foram inscritas.
Destas, 8 obras estrangeiras, e 44 nacionais, das quais, 10 realizadas por paraenses.
Já em 2016, foram 56 inscrições, 5 estrangeiras, 51 nacionais, 9 paraenses.
Entre os países que mais enviam obras ao festival, destaca-se Portugal, com 11 obras, divididas pelos anos de realização do evento, ou seja: 4, em 2014; 5, em 2015; e 2 em 2016.
Cabo Verde também se destaca, com o envio de 5 filmes, sendo 2 em 2015, e 3, em 2016.
Os estados de São Paulo (27), Rio de Janeiro (20), Rio Grande do Sul (7), Goiás (5), e Rio Grande do Norte (7), Bahia e Minas Gerais (3, cada), são os que mais se destacam entre aqueles que mais enviaram filmes ao festival.
Com 32 filmes enviados, o Estado do Pará está na frente da Região como aquele que mais marca presença no FICCA.
Esta empreitada, portanto, já é uma marca no calendário cultural de Bragança e a afirmação histórica da força incondicional de todos que fazem o FICCA ser o que ele é.

INDICADORES 2014 / 2015 / 2016

FILMES INSCRITOS
TOTAL
ESTRANGEIROS
NACIONAIS
AMAZÔNICOS
PARAENSES
2014
36
5
31
21
13
2015
52
8
44
10
10
2016
56
5
51
9
9
TOTAL
144
18
126
40
32

2014
Filmes Estrangeiros
PORTUGAL (4); FRANÇA (1)
Filmes Nacionais
RJ (03); SE, CE, RS, MA, DF, PB, PR (1)
Filmes Regionais
PA (13); RO (4); AP (2); AM (2)

2015
Filmes Internacionais
PORTUGAL (5); CABO VERDE (2); EUA (1)
Filmes nacionais
RJ (12); SP (9); RN (6); GO (5); RS (3); BA (2); MA; PE; PE; ES; PI; CE (1)
Filmes Regionais
PA (10)

2016
Filmes Internacionais
CABO VERDE (3); PORTUGAL (2)
Filmes nacionais
SP (18); RS (2); GO (4); MG (3); RJ (5); PB; MT. RN; PR; CE; PE; BA (1)
Filmes Regionais
PA (9)

VENCEDORES 2014
Melhor DOCUMENTÁRIO: feli(Z)cidade, de Clementino Júnior (RJ)
Melhor LONGA-METRAGEM: Sinfonia da Necrópole, de Juliana Rojas (SP)
Melhor MÉDIA-METRAGEM: O Time da Croa, de Jorane Castro (PA)
Melhor CURTA-METRAGEM: João Heleno dos Brito, de Neco Tabosa (PE)
Prêmio IMAGEM-TEMPO: Memórias do Cine Argus, de Edivaldo Moura (PA)
Prêmio IMAGEM-MOVIMENTO: Janaína Colorida Feito o Céu, de Babi Baracho (RN)
Prêmio do JURI POPULAR: Sêo Inácio - ou O cinema do imaginário, de
Helio Ronyvon (RN)

VENCEDORES 2015
Melhor LONGA-METRAGEM: Prólogo, de Gabriel Marinho (DF)
Melhor MÉDIA-METRAGEM: Gotas de Fumaça, de Ane Siderman (RS)
Melhor CURTA-METRAGEM: Conflitos e Abismos, de Everlane Morais (SE)
Melhor DOCUMENTÁRIO: Dias de Mangal, de Evandro Medeiros (PA)
Melhor DIREÇÃO: Juliette Yu-Ming (Filme: Rito de Passagem – RJ)
Melhor ROTEIRO: Bobô,  Longa de Inês Oliveira (Portugal, Guiné, Brasil)
Melhor MONTAGEM: Marcley de Aquino (Filme: Desencontro Marcado,  de Alice Bessa, Duarte Dias e Marcley de Aquino – CE)
Melhor FOTOGRAFIA: Lucian Rosa, Bem Hur Real, Kenny Mendes, Nadia Biondo (Filme: Louises - Solrealismo Maranhense, de Keyciane de Sousa Martins – MA)
Melhor TRILHA SONORA: Cláudio Lavôr (Filme: Filhos da Hutukara, de Ana Lúcia Mendina – RR)
Melhor FILME JURI POPULAR: Sophia, de Kennel Rógis (PB)

Carpinteiro de Poesia Francisco Weyl
Diretor TRIBUNA DO SALGADO / FICCA
Tecnologia do Blogger.