#LUTAS “Ameaças a direitos trabalhistas levam SINTEPP a greve nacional "

Bragança, 21 de Setembro de 2016
A direção estadual do SINTEPP convoca um ato público para o dia 22 de setembro (quinta-feira).
A concentração será a partir das oito horas da manhã no Mercado de São Brás, em Belém.
De acordo com o site do SINTEPP, os trabalhadores da educação do Pará estão em pé de guerra com o governador Simão Jatene, a quem chamam publicamente de caloteiro.
A paralisação nacional é contra os seguintes pontos:
- O PLP 257, que limita os planos de carreira;
- A PEC 241, que congela o Piso do Magistério;
- O PL 4567, que desvincula os royalties do petróleo para a educação;
- A Reforma da Previdência, acabando com a aposentadoria especial;
- Contra a Lei da Mordaça.


(Segue Texto da direção do SINTEPP)
JATENE CALOTEIRO, PAGUE O PISO DO MAGISTÉRIO!
O terceiro dia de paralisação da rede estadual de ensino contou com duas atividades sindicais.
Durante a manhã desta quinta-feira (15) os/as trabalhadores/as em educação começaram as atividades em Belém com ato público pela manhã em frente ao Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE/PA) com objetivo de chamar atenção para a ilegalidade cometida pelo governo Jatene ao descumprir a lei que obriga o pagamento do piso salarial nacional do magistério, mesmo com parecer favorável aos educadores expedido pela justiça no último dia 24|08.
Por volta das 11h a categoria decidiu fechar a Av. Almirante Barroso para denunciar o pouco caso com que o governo Jatene e sua secretária de educação, Ana Cláudia Hage, tratam o ensino e os servidores públicos, enquanto uma comissão de representantes do Sintepp se deslocou até o Palácio dos Despachos para tentar uma audiência. A ação durou pouco mais de trinta minutos.
Além de não pagar o piso do magistério, a gestão Jatene/Cláudia Hage não apresenta proposta eficiente quanto à necessidade de combate aos crescentes episódios de assaltos nas escolas, mas aplica uma política repressiva contra os/as educadores/as; as escolas estão sucateadas e algumas em reformas intermináveis; há tentativa de redução da grade curricular; e da mesma forma o ensaio fracassado de reorganização do ensino foram várias tentativas de atacar os direitos das trabalhadoras e trabalhadores da educação, algumas derrubadas com muita mobilização da categoria e dos estudantes, outras o governo insiste em levar a cabo.
Durante a tarde a categoria se reuniu em assembleia geral na EE Cordeiro de Farias, recebeu da Coordenação do Sindicato informes sobre a última audiência na SEDUC e avaliou está semana de Lutas e mobilização. Após as intenções foi deliberada a manutenção do ESTADO DE GREVE e aprovado o seguinte calendário:
22|09 (quinta-feira)
Paralisação Nacional contra a PEC 241, PLP 257 e Projetos de Leis que atacam os direitos dos trabalhadores e a soberania do País, com ato público pela manhã. Concentração: Mercado de São Brás.

Fonte © #TRIBUNADOSALGADO (Com informações de http://sintepp.org.br/2016/09/22-de-setembro-paralisacao-nacional/)
Tecnologia do Blogger.