#FRAUDE “UFPa nega pesquisa divulgada em nome da Instituição”

Bragança > 15 de Setembro de 2016

O coordenador do Campus UFPa-Bragança, professor-doutor Sebastião Rodrigues, disse desconhecer qualquer pesquisa realizada por um suposto departamento de estatística da Instituição.
Ele afirmou categoricamente que não existe sequer tal departamento na UFPa-Bragança, e que desconhece qualquer pesquisa sobre Bragança, realizada pela UFPa em Belém.
Mas a informação sobre tal pesquisa já está circulando as redes sociais a partir de grupos de wattzzap, que são os maiores redes geradoras de fofocas de Bragança.
Os grupos watzzapp tem uma força localizada que se expande além dos telefones, chegando mesmo na rádio cipó, tomando conta das ruas, e destas se (retro)alimentando de informações duvidosas.
As falsas pesquisas eleitorais tentam “iludir” uma temperatura, uma tendência do eleitor, manipulando-o a decidir por A ou B.
A “pesquisa” que circula nas redes não trás nenhum documento oficial da UFPa, e nem se refere a metodologias e dados.Assim que recebi a tal “pesquisa”, logo suspeitei, e acessei ao coordenador do Campus para lhe demandar sobre a veracidade ou falsidade da mesma.
Quaisquer que sejam as pesquisas devem ser registradas no Juízo Eleitoral ao qual compete fazer o registro dos candidatos.
Isso permite que o eleitor conheça as metodologias e estude os ”universos” dos pesquisados
A divulgação de pesquisa fraudulenta é crime punível com detenção de seis meses a um ano e multa que varia entre R$ 53 mil a R$ 106 mil.
O eleitor para se proteger tem que acessar o site da Justiça Eleitoral,  para observar se a pesquisa divulgada foi ou não registrada:
http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2016/pesquisas-eleitorais/consulta-as-pesquisas-registradas.



                                                Fonte © #TRIBUNADOSALGADO
Tecnologia do Blogger.