#PRÁTICAS “Porque a vida não pode esperar, Coletivo BORA faz reunião ampliada”



Bragança > 23 de Agosto de 2016

O Coletivo BORA quer planejar suas ações e ampliar as parcerias.
Por causa disso, uma reunião está sendo convocada para esta quarta-feira (24/08).
De acordo com a bióloga Marivana Silva, além de programar suas ações, o BORA quer cruzar os projetos no campo da (agri)cultura.
E por isso estão sendo convidadas as pessoas que atuam no campo das artes.
Entre estas, os criadores e participantes dos coletivos que fazem o FICCA e o SARAU DA LUA MINGUANTE.


Por que bora?  !!! Bora é agora!!!

Imagine um mundo em que as pessoas constroem juntas casas e jardins.
E hortas, orgânicas, onde colhem alimentos saudáveis.
Um mundo em que as pessoas se encontram para partilhar uma experiência ecológica sustentável que preserva a natureza e o espírito humano.
O Coletivo BORA mete a mão na massa por causa disso.
Em cerca de um ano em atividade, fez parcerias, e levou práticas de jardinagens e de horticultura para as escolas públicas.
E construíram o Jardim da Matemática, proposta de ensino interdisciplinar ao ar livre na E.E.F.M Bolivar Bordallo da Silva.
Além das escolas, o Coletivo Bora viveu experiências com hortas orgânicas, permacultura, bioconstruções, para as casas das pessoas.
A importância da saúde do solo e da compostagem são assuntos de rodas de conversa com a presença de especialistas e estudantes.
O Coletivo Bora já expôs sobre Permacultura, e distribuíu mudas de andiroba, açaí, samaumeiras, pau-brasil, etc.
Mas o mais significativo ato do Coletivo foi o último mutirão da bioconstrução.
O Coletivo nasceu após treinamentos em Olericultura Orgânica oferecido pelo SENAR em parceria com a UFPA, IFPA e Sítio Nígria, Outubro e Novembro de 2015.
E tem na pessoa da professora Marivana Silva uma de suas forças motrizes.

SERVIÇO > Reunião ampliada do Coletivo BORA / Sítio Nigria / Vila Sinhá em frente a UFPa / Dia 24 de Agosto / 18H30

Fonte © #TRIBUNADOSALGADO (Foto #DRITRINDADE)
Tecnologia do Blogger.