#INVESTIGAÇÃO “Vereadores não querem CPI sobre atraso de salários”

Bragança > 18 de Agosto de 2016

O professor Nonato Ceará saltou dos 952 votos que obteve como vereador (2012) para 4.449 votos como deputado estadual (2014).
Estes números não são nada mal para quem é professor, e segue a sua carreira paralela a sua atuação política.
Politicamente, o partido do professor se aliou com Edson Oliveira , e reconstituiu localmente uma aliança falida nacionalmente.
Esta candidatura a prefeito, como se sabe, ficará subjudice, ad infinitum.
E o professor sabe que ela tem tudo para não dar certo.
Não quer desperdiçar os votos que acumulou com uma troca de orientação política.
Isso confunde o já desconfiado eleitor na hora do voto.


Internamente, ele está rachado com o PT, contrário a esta aliança com o PMDB.
E do mesmo modo, Rosa Chagas, por ele defendida na sessão camarária desta quinta-feira (18/08).
Os dois já foram presidentes da Casa. São professores.
A vereadora teve a sua biografia questionada nas redes sociais por conta da divulgação dos contracheques dos servidores pelo Portal da Transparência.
Mas, mesmo imune a chacina dos contracheques, Ceará não vai apoiar a CPI da Educação.
Nem ele e pelo andar da carruagem a maioria dos vereadores não ve futuro nesta CPI.
Já os professores da rede municipal, querem a investigação sobre o atraso dos seus salários.
Eles não aceitam os argumentos da secretaria de educação.


                                Fonte © #TRIBUNADOSALGADO (Foto #DRITRINDADE)
Tecnologia do Blogger.