#HINO "A letra do poeta De Castro e Souza para Bragança"

HINO BRAGANTINO
Letra: De Castro e Souza
Música: Raimundo Cunha

        Solo - 1º
Como esteira de luz e bonança
a esplender para a nossa emoção.
esta terra ideal de Bragança
é de Deus a melhor criação...

          Coro
Se em suas margens majestosas
rola o formoso rio Caeté,
nas suas almas venturosas
desliza o bálsamo da fé.

        Solo - 2º
Dentro desta feraz natureza,
onde esplende o poder tropical,
nossa terra é um céu de beleza,
uma bíblia de amor divinal...

          Coro
Se em suas margens, etc.

        Solo - 3º
Desse sol, que reflete a esperança
fecundante do fruto e da flor,
nossa terra, a formosa Bragança,
é um ninho de paz e de amor!

          Coro
Se em suas margens, etc.

        Solo - 4º
Quando surge no céu a alvorada,
derramando torrentes de luz,
nossa terra é qual hóstia doirada,
consagrando o glorioso Jesus!

          Coro
Se em suas margens, etc.

        Solo - 5º
Se o Caeté pelas margens desliza,
murmurando canções ao luar,
nosso olhar assombrado divisa
que Bragança é de Deus um altar!

(Nossos agradecimentos a João Jorge Reis, professor, blogueiro, especialista, escritor e acadêmico - Academia de Letras do Brasil/Bragança joaojorgereis.wordpress.com)


O hino de Bragança foi escrito por Antônio Telles de Castro e Souza e musicado por Raimundo Mota da Cunha. 

A letra do Hino de Bragança, de acordo com a wikipedia.org, foi composta antes da música, o que é bastante incomum. 

E por esta razão, demoraram alguns anos para que o mesmo viesse a ser executado corretamente.
Com o passar dos tempos, entretanto, a letra acabou por ser alterada.
O erro já teria sido apontado por historiadores.
Ao que parece ainda não há uma única gravação correta do Hino.
 


Tecnologia do Blogger.