#FRAUDE R$ 15 MI e ninguém preso na “Caneta Mágica”


O Ministério Público cumpriu 12 mandados de busca e apreensão em residências e empresas nos municípios de Tracuateua, Belém, Ananindeua e Bragança (7/7).
Tendo como alvo, empresários e servidores públicos envolvidos em fraudes em licitações públicas, a operação foi executada pelo  Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas e Núcleo de Combate à Improbidade e Corrupção.
Além de diversos documentos e mídias, foi apreendido um revólver calibre 38, sem registro na casa de um dos acusados em Belém.
Em Tracuateua, os promotores foram a sede de diversas instituições públicas, como a prefeitura, a secretaria de educação, e a secretaria de saúde.
As residências das pessoas investigadas também foram alvo da ação.

PRISÃO - De acordo com o G1, o promotor do Ministério Público do Pará, Bruno Sanches disse que os desvios na Prefeitura de Tracuateua chegam perto de R$15 milhões
O promotor teria dito que os desvios de verbas seriam feitos por funcionários públicos via duas empresas de fachada, que fraudavam e ganhavam licitações de obras públicas.
Ninguém foi preso na operação, mas o promotor admitiu que mandatos de prisão poderão ser emitidos, se necessário.





OPERAÇÃO -  Lembra da caneta que escreve e depois a tinta apaga? Pois é. É isso que faziam os acusados pelo MP em Tracuateua.
De acordo com o site do MPPA, a tarefa mobilizou um grupo de promotores e  assistentes.
“Eles tentavam esconder os atos irregulares", explicou o promotor de Justiça Bruno Beckembauer (PJ de Bragança e Tracuateua)  para justificar o nome da operação, “Caneta Mágica”.
Ele divide a coordenação da operação com o promotor de Justiça Harrison Bezerra (Gaeco).
Além dele, outros dois promotores de Justiça de Bragança participaram das investigações sobre as irregularidades, Daniel Barros e Marcela Castelo Branco.
A ação contou ainda com a participação dos promotores Francisco Lauzid, Ana Maria Magalhães, Sabrina Daibes (Gaeco) e Érika Menezes.
E dezenas de agentes da polícia federal, com apoio das forças de segurança pública.

Fonte © #TRIBUNADOSALGADO
(Com informações de G1 / Edyr Falcão - Fotos: Gaeco)
Tecnologia do Blogger.