#‎CASAPRÓPRIA‬ > “Casal vai melhorar a qualidade de vida” >


Edilson do Rosário Rodrigues, 33 anos, e Edilene Silveira do Reis, 28, vivem juntos há quatro anos. Ele já tentou ser mototaxista mas teve o veículo furtado e hoje vive como pedreiro, trabalha o dia inteiro. E ela fica na lida da casa, com as crianças. De seus filhos, as duas mais novas são legítimas, e os demais três, de criação, estes estudantes matriculados em escolas públicas municipais.
O casal acaba de ser contemplado com uma casa própria, pelo Programa Minha Casa Minha Vida, no Conjunto Residencial João Alves Mota I, localizado na Vila Sinhá, onde eles também moram com a família. Mas eles dois ainda nem sabem onde vão morar exatamente, porque até agora não conseguiram saber qual a quadra, entretanto, já sabem que o número da portaria da casa é 31.
O casal está na luta pelo direito à moradia com dignidade há muitos anos, inclusive, chegaram a construir um “barraco” numa área de invasão localizada atrás dessas novas residências deste programa habitacional do governo federal que lhes contemplou com uma casa própria.
Na antiga invasão eles conseguiram ficar seis meses, investiram o que nem tinham e viram oi barraco ser destruído pelas máquinas do governo municipal com apoio da PM. Hoje eles ainda moram numa casa ocupada na invasão do “Finiz”, bem pertinho de uma fruteira e de um ponto de água disponibilizado pela empresa Círio, construtora da nova casa em que vão habitar a partir de agora.
Os dois não avançaram nos estudos, chegando até a quinta série e no momento não estão integrados em nenhum programa educativo do ministério da educação, como Pro-Jovem ou Pronatec, mas, vontade não lhes falta, o que não têm, dizem, é tempo.
E como a vida agora lhes deu uma nova chance, já compraram a máquina de bater açaí e pretendem montar um negócio para mudar definitivamente de vida, razão pela qual, sem terem de buscar água na bica e sem gato de energia, eles se sentem mais seguros para dar passos firmes rumo a uma melhor qualidade de vida.

CASAS - Edificadas pela Empresa Construtora Círio para o Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal, as 1.352 unidades habitacionais do Conjunto João Alves da Mota I possuem exatos 35,2 m2, com sala, quarto, banheiro e área para construção, e placa solar.
A inauguração do empreendimento está prevista para o dia 15 de junho e a entrega das chaves para o dia seguinte. Já anunciada pela prefeitura, está sendo ansiosamente aguardada pela população a presença da presidenta Dilma Roussef, para entregar pessoalmente as chaves..
A construção das casas, localizadas no bairro Vila Sinhá, levou mais de dois anos e custou R$ 70.304.000,00, financiados pela Caixa Econômica Federal. Os critérios de escolha dos contemplados pelo Programa Minha Casa Minha Vida levaram em consideração uma renda de até R$ 1.600,00, sendo a menor prestação na faixa de R$ 50,00, cerca de 10% da renda familiar.
A presidente da Câmara Municipal de Bragança, vereadora Rosa Chagas (PT) chegou a denunciar durante o sorteio dos contemplados pelo Programa Minha Casa Minha Vida que algumas pessoas burlaram o sistema para se beneficiar , fato imediatamente comentado pelo prefeito municipal João Nelson Magalhães, para quem este tipo de coisa há que ser investigado. Mas a denúncia, entretanto, ainda não foi formalmente protocolada em nenhuma instância jurídica ou institucional do governo, pairando, portanto, neste momento, no universo da boataria tão comum às políticas provincianas.

FONTE © ‪#‎TRIBUNADOSALGADO‬
(Texto & Francisco Weyl / Foto: Dri Trindade)
Tecnologia do Blogger.