#CINEMA > Comunidades indígenas e quilombolas na sessão do FICCA



Prosseguem esta noite no auditório da UFPA - Campus Bragança as atividades que antecedem ao Segundo Festival Internacional de Cinema do Caeté – FICCA. Com entrada gratuita, a partir das 19h, o público poderá assistir a quatro filmes, entre curtas e médias-metragens.

E o FICCA-Cine (nome do #Atelier que compreende minicursos, grupos de estudos e sessões cinematográficas abertas a comunidade) programou um dos filmes percussores do Cinema Novo BRASILEIRO.

Trata-se do documentário #ARUANDA, de Linduarte Noronha de Oliveira, um média metragem de 20 minutos, filmado em preto e branco no ano de 1960.

Considerado um marco do cinema brasileiro, o filme revela pela primeira vez uma comunidade de escravos libertos do sertão da Paraíba através de imagens líricas e rudes.

Antes da exibição de Aruanda, entretanto, serão exibidos três filmes premiados no I FICCA, realizado em 2014.

Pela ordem, serão projetados os filmes GOTAS DE FUMAÇA (Ane Siderman – Rio G. Sul - Ficção - 21’35” - Prêmio de Melhor filme de Média Metragem > FICCA 2014); FILHOS DA HUTUKARA (Ana Lucia Mendina – Roraima / Documentário - 10 Minutos - Prêmio de Melhor Trilha Sonora > FICCA 2014); e DESENCONTRO MARCADO (Duarte Dias, Alice Bessa e Marcley de Aquino. – Ceará - Ficção - 14 Min - Prêmio de Melhor Montagem > FICCA 2014)

AGENDA – O Atelier FICCA-Cine realiza as suas atividades no Campus Universitário de Bragança, com reuniões semanais de grupos de estudos e minicursos sobre Cinema e Cineclubismo. As inscrições continuam abertas e podem ser feitas onde se realizam as ações do Projeto. Mais informações: carpinteirodepoesia@gmail.com / ficcacinema@gmal.com / (91) 988212419 / (91) 996422018



© #TRIBUNADOSALGADO
Tecnologia do Blogger.