#CAOS > Bombeiros condenam Escola Paula Pinheiro




O Comando de greve dos professores públicos de Bragança promoveu na semana passada um ato público para denunciar as condições precárias da Escola Estadual Paula Pinheiro, que fica localizada no bairro do Morro.

O Comando local de greve diz que recebe diversas denúncias de profissionais de educação e mesmo de pais e mães e de alunos sobre as péssimas condições das escolas. Estas denúncias são comuns em todo o estado do Pará, razão pela qual a pauta da reforma das escolas se tornou uma das mais importantes da categoria.

A equipe da #TRIBUNADOSALGADO esteve na manhã desta segunda-feira, 27 de abril, na Escola Paula Pinheiro e pode comprovar a sua precariedade.

Segundo apuramos, o Corpo de Bombeiros já emitiu dois laudos em que condena a escola, na qual os professores preferem conduzir as aulas na quadra de esportes, já que temem pela própria vida, caso fiquem nas salas.

Telhados danificados, forros deteriorados, goteiras, podem a qualquer momento provocar um desabamento de partes do prédio, conforme podem ser observados nesta fotomontagem que ilustra esta matéria.

AGENDA - Uma caravana de dezenas de professores e demais trabalhadores na educação pública irá se deslocar até Belém nesta terça-feira, 28 de abril, para participar da Conferência Internacional de Direitos Humanos, que acontece no Hangar- Centro de Convenções. A caravana vai se juntar com outras no Município de Santa Maria.

Os professores dizem que vão denunciar as condições ás quais estão submetidos e apresentar um documento em que comprovam que o Governo do estado não respeito o direito humano à educação pública. A meta é sensibilizar a opinião pública internacional.

Na agenda do movimento grevista dos professores, para além da participação na Conferência de Direitos Humanos está uma Assembleia Geral da categoria, dia 29 de abril, quando decidirão quais os rumos do movimento, considerado fortalecido, de acordo com nota oficial do site do SINTEPP.

Na quinta, dia 30, os professores voltam a se reunir em Assembleia, dessa vez, em Bragança, para decidir que rumos dar ao movimento local.

AVALIAÇÃO - De acordo com o SINTEPP, o quadro de greve aponta manutenção da paralisação em cerca de 94% das escolas da capital e suspensão das aulas em 122 municípios, mesmo diante da ameaça de corte de ponto e contração de temporários. A entidade esclarece em seu site que a categoria está fortalecida e analisa de forma minuciosa as propostas dialogadas pelo sindicato durante as reuniões com o governo, o qual, segundo o Sindicato, utiliza seu poder econômico para custear a mídia burguesa na tentativa de confundir os educadores e manipular a sociedade, entretanto, o Comando de Greve informa que não está medindo esforços para alcançar um consenso que garanta a não retirada sumária de direitos como propõe o governo.





Fonte © #TRIBUNADOSALGADO (Texto e fotomontagem: Francisco Weyl/Dri Trindade)
Tecnologia do Blogger.