Sai a lista de filmes do FICCA

O Festival Internacional de Cinema do Caeté – FICCA divulga a lista de filmes que vão a concurso durante o evento que acontece entre os dias 11 e 14 de dezembro de 2014, na cidade de Bragança, Pará.

Dos cerca de 40 filmes inscritos, menos da metade conseguiu passar pela primeira triagem, que consumiu meses de trabalho de uma equipe que não economizou esforço para que o FICCA se torne um panorama da arte cinematográfica na Amazônia e no mundo.

Categorias do Júri - O Júri Oficial do FICCA , que não por acaso é composto em sua maioria por cidadãos e cidadãs bragantinos (as), vai atribuir prêmios para nove categorias (melhor longa-metragem, melhor média-metragem, melhor curta-metragem, melhor documentário, melhor diretor, melhor roteiro, melhor montagem, melhor fotografia, e melhor trilha sonora).

O Júri Popular também escolherá o melhor filme.

Os troféus serão confeccionados pelo artista Paulo Emanuel.




A programação do FICCA acontecerá em diversos espaços de Bragança, entre estes o Colégio Santa Terezinha; a UFPa – Campus Bragança; sede do Jornal Tribuna do Salgado; e a Casa do Professor (Ajuruteua).

Política colaborativa - O FICCA é um festival colaborativo fora dos apelativos padrões comerciais tradicionais, que tem como meta formar plateias, a partir da projeção de filmes, em mostras oficiais e paralelas, minicursos, rodas de conversas, e saraus poéticos.

Considerada uma jornada cultural sem fins lucrativos que tende a inverter a lógica do mercado audiovisual para potencializar a liberdade criativa, o FICCA destaca o papel do cinema, do vídeo e da produção audiovisual em geral na construção de uma sociedade mais justa e solidária.

Parcerias - Sob a coordenação do poeta e realizador Francisco Weyl, o FICCA já conta com o apoio da 1ª Unidade Regional de Educação (Professor Ronaldo Ferreira); Academia de Leras do Brasil – Secção Bragança (professor Beto Amorim); Prefeitura de Bragança; UFPa; além dos hotéis Solar do Caeté (Antônio Carlos); Alternativo (Mário); Pousada de Ajuruteua (Chico); Vacaria (Rosana), Restaurante OBA; e Instituto Amazonart. Após o Festival, em 2015, os filmes serão exibidos na TVEducadora de Bragança, outra parceira do certame, que vai criar uma programa sobre cinema, produzido no âmbito do projeto Aluno Repórter, com o apoio do FICCA e do Jornal A Tribuna do Salgado.






Filme em competição: Longas- Metragens: LOUISES - SOLREALISMO MARANHENSE (Keyciane de Sousa Martins - Maranhão) / FICCÇÃO / 75 Minutos; BOBO (Inês Oliveira – Portugal – Guiné – Brasil) / FICÇÃO / 80 Minutos; ANJO DE CHOCOLATE (Clementino Júnior – Rio de Janeiro) / DOCUMENTÁRIO / 80 Minutos; PRÓLOGO (Gabriel Marinho – Distrito Federal) / DOCUMENTÁRIO / 94 Minutos; Médias : UM ADEUS (Durval Ferreira - Paraná) / FICÇÃO / 54 minutos; GOTAS DE FUMAÇA (Ane Siderman – Rio G. Sul) / FICÇÃO / 21’35”; JÚLIO O POETA / (Luís Costa – Portugal) / DOCUMENTÁRIO / 32 Minutos. E Curtas-Metragens: DESENCONTRO MARCADO (Duarte Dias – Ceará) / FICÇÃO / 14 Minutos; SOPHIA (Kennel Rógis - Paraíba) / FICÇÃO / 15 Minutos; RITO DE PASSAGEM (Juliette Yu-Ming - Rio de Janeiro) / FICÇÃO / 11 Minutos; SERENKATO – O Canto da Floresta (Jonathas Bernard – Roraima) / DOCUMENTÁRIO / 15 Minutos; TERREIRO DE MINA (Edivaldo Moura – Pará) / DOCUMENTÁRIO / 15 Minutos; VOZES DA DITADURA (Ismael Machado / Bruno Farias / Vanessa Wagner - Pará) / DOC / 14 Minutos; BICA (Keyla Serruya – Amazonas) / DOCUMENTÁRIO / 14 Minutos; DIAS DE MANGAL (Evandro Medeiros – Pará) / DOCUMENTÁRIO / 15 Minutos; CONFLITOS E ABISMOS (Everlane Morais – Sergipe) / DOCUMENTÁRIO / 15 Minutos; FILHOS DA HUTUKARA (Ana Lucia Mendina – Roraima) / DOCUMENTÁRIO / 10 Minutos.

Mostras Paralelas: Além destes filmes em exibição na Mostra Oficial, ocorrerão outras ações como saraus literários, minicursos, e mostras paralelas, pela via das quais o FICCA promoverá duas estreias: a do filme ficcional “A Ilha”, de Mateus Moura, e o documentário musical “Mestre Vieira, 50 anos de guitarrada”, de Luciana Medeiros. Estes filmes compõem as Mostras “Olhares Caeteuaras” e “Musica Amazônida”, ao qual se acrescentam diversos curtas de produção local bragantina.




As oficinas oferecidas gratuitamente e sem a necessidade de experiência anterior e/ou inscrição prévia são as seguintes: Roteiro Popular (Márcio Figueiredo – PE); Produção criativa e estética da gambiarra (Mateus Moura – PA & Isabela do Lago – PA); Cinema de Guerrilha (Francisco Weyl – PA); e Cineclubismo de resistência (Eduardo Paes de Aguiar – RJ & Arthur Leandro – PA).

Rodas de conversa também estão programadas sob os seguintes temas: “De Glauber a Nietzsche, a cólera da arte e a (DES)obediência do povo” (Dinamizadores: Henry Burnet & Francisco Weyl/ / Mediador: Arthur Leandro); “A fé no corpo e o corpo sem fé: contra-discursos afrofemininos´(Dinamizadores: Isabela do Lago & Thiane Neves Barros / Mediadora: Maria Werneck); e “Arte poética e política do FICCA” (Dinamizadores & mediadores: Todos os participantes do FICCA,).

Uma programação imperdível, portanto, que vai tomar ficar para a História e inscrever o cinema na cena da cultura bragantina. Todos convidados a participar, divulgar e colaborar.

©FICCA
Tecnologia do Blogger.